Os grupos de WhatsApp que participo contam com uma thread fixa: "Quando tudo voltar ao normal, como será...?". Ou: "Vamos fazer isso, assim, quando voltar ao normal...". Eu não sei vocês mas penso que esse "normal" que existia, não vai voltar. Viveremos um novo normal, ordinário.

As tecnologias de conectividade e nuvem chegaram para nos conectar a qualquer pessoa, nas mais diversas formas: Video, texto, voz, video+texto+voz o que deixou tudo muito fácil, gratuito inclusive.

Ferramentas de produtividade aos montes, das mais diversas e com todo tipo de abordagem. Estamos diante de um novo cenário e que vai nos trazer um tal de novo normal...

O já popular estudo do WEC (World Economic Forum) "Future of Jobs", muito completo e instigante diga-se de passagem, já pontuava: Criatividade, solução de problemas complexos e coordenação com outros da equipe como as três principais habilidades do profissional de hoje.

Essas três habilidades passam a fazer muito sentido quando entendemos o Mundo pós COVID como um Mundo ainda mais VUCA (Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo). Aquele slogan daquela rádio que prega que "em segundos, tudo pode mudar..." nunca fez tanto sentido.

Profecias do Novo Normal

Profecia é um relato, religioso ou não, no qual se afirma prever acontecimentos futuros. Quando tem origem religiosa, tais relatos afirmam que a origem da previsão pode ser visões, sonhos ou até mesmo encontros com um ser sobrenatural, sendo considerados como mensagens divinas. Wikipédia

O novo normal é aquele em que, em meio às adversidades da natureza e da sociedade, alinhando-se as mais diversas ferramentas de trabalho, arquiteturas e conexões, pessoas vão continuar gerando valor, se relacionando e trocando "coisas" entre si.

TECNOLOGIAS

As tecnologias digitais e de colaboração estarão mais assimiladas pelas pessoas. Mais bem interpretadas por todos que, de forma inquestionável, se colocaram diante do cenário de saber se conectar ou estar desconectado do Mundo.

DESLOCAMENTO

Deslocar-se, por quê? Sair de casa, enfrentar trânsito para trocar o computador, café e ambiente doméstico e o calor do lar para chegar em um lugar com tudo isso, mas pior, e perdendo tempo de transação (deslocamento)? Dos criadores daquela camiseta, eu sobrevivi a uma reunião que poderia ser um e-mail, haverá aquela do "não, obrigado, vou de Zoom mesmo".

REUNIÕES

As reuniões serão onipresentes. As que acontecerem no formato presencial sofrerão, naturalmente, uma provocação sobre a possibilidade de ficar facultado ao membro por qual canal ele participará: presencial ou remoto.

AMBIENTE DE TRABALHO

As pessoas perceberam que seu trabalho não depende de uma mesa, copa e escritório mas sim um login e senha para acessar uma nuvem. Projetos de digital workplace e single ID (Login Único) ganharão lugar especial nas organizações assim como as boas práticas nesses temas.  Sou evangelizador quando o assunto é "remote" e o TED de 2010 do Jason Fried (por que o trabalho não acontece no trabalho) merece ser visto e revisto algumas vezes.

CONFERÊNCIAS

Aplicativos de conferência, existirão vários em sua tela até que alguma alma diferenciada tecnológica e de bem invente alguma alternativas para integração de todos e permitir a experiência que for mais conveniente ao usuário: 1 aplicativo, todos as janelas de conferência. Convenhamos, 10 aplicativos de conferência no celular, não há memória e paciência que aguente (Meet, Teams, Whereby, Webex, Zoom, Discord, GoToMeetings, Join.Me, Slack, Skype, Whats App...)

SAÚDE E HIGIENE

A preocupação com saúde, higiene e limpeza passa a ser mais presente, nos diversos ambientes. Dispositivo de álcool em gel pregado na parede virará item obrigatório? E as máscaras? Será que viveremos o boom da arte e do design com esse item entrando em nosso hall de itens pessoais indispensáveis?

FINANÇAS

Caixa, poupança e saúde financeira passarão a ser prioridade nas famílias e empresas. A reserva econômica de emergência deve ser encarada como algo de importância fundamental à saúde física e mental. Indo lá para teoria de contabilidade social, sobre capacidade de investimento ser diretamente proporcional a poupança da nação, podemos até falar em transformação da capacidade de investimento.

ESSENCIALISMO

Quando alguém atravessa um deserto ou vai para uma guerra, pelo que li nos livros, elas levam apenas o essencial. Carregar o inútil toma energia e tal energia será escassa em momentos difíceis. Se não facilita, não ajuda, não agrega, elimine.

VALOR AGREGADO

Seguindo a lógica do, "se não agrega, corta-se", fica a reflexão sobre a importância tanto para quem produz, como para quem consome:  Quanto valor você gera? Qual a sua relevância na cadeia de consumo? Uma reflexão que muitas startups fazem para entender se elas fazem sentido, e que agora negócios tradicionais também fazem: Se sumir do mapa, quem vai sentir sua falta a ponto de bancar o seu retorno?

E-STRATEGY

Negócios que não contam, agora, com um botão de comprar estão tendo dificuldades. A modernização digital das empresas é muito importante... Para além da retaguarda de sistemas, um entendimento de oferta de valor em tempos de plataformas digitais.  

DE VERDADE

O presencial, sendo escasso, a tendência é que se torne mais valioso. Sair do by-the-book, do clichê, para as experiências de fato. Extrair do presencial aquilo que não extraímos no online: Olho no olho, calor humano, habilidades manuais, artes analógicas... O distanciamento mostrou o valor do calor humano. Diminuímos a oferta de gente e passamos a ver o quão valioso é ter gente por perto.

CONTEÚDO

Acesso a conteúdo relevante em cada vez mais formatos digitais e, assim, o bom e velho Google-ZMOT ficando cada vez mais claro. Não estamos mais falando de blog posts e reviews mas sim de mais e mais pessoas produzindo conteúdo digital, em diferentes formatos, já que o digital virou o meio principal: Lives, webinars, cursos online e materiais explicativos para uma reunião de time que, não havendo a possibilidade do presencial, passam a estar mais ricos no digital, ganhando também outros ambientes de exposição.

ADAPTAÇÃO

Setores que torciam o nariz para as tecnologias online viram nela não apenas uma alternativa viável como também um fantástico mundo novo. Arrisco dizer, que negar uma transição ao digital é estimular engenheiros de software e produtos a serem mais inovadores, para entregarem experiências cada vez melhores. Concordo que existam profissionais cujo atendimento remoto possa parecer "estranho", mas inviável, impossível, raramente. Para os criativos e inquietos, fechar uma porta é a oportunidade (e o convite) para se abrir uma janela...

AGILIDADE

Desapego, visão amadurecida e conhecimento do negócio, entendendo claramente a oferta de valor. Importante não ter medo de mudar. "Não tenho compromisso com o erro. - Juscelino Kubitschek"

ENTRETENIMENTO

As lives dos artistas brasileiros estão um show à parte. Reunindo milhões de pessoas, permite e provoca um novo formato de exposição de arte e relacionamento com marcas, além de propor um novo parceiro de conteúdo no lar, para entretenimento em casa, ao vivo mas que, dificilmente no fará esquecer as experiências ao vivo.

TURISMO E EXPERIÊNCIA

O setor que mais sofreu nisso tudo: Trade turístico. Companhias aéreas, pousadas, hotéis, guias turísticos... Difícil imaginar alternativas quando o valor está na experiência física de fato. Ver a foto é legal, mas o valor mesmo está na memória, na experiência, naquilo que viveu-se e a foto conta em parte.

Por Fim...

Atualize-se, aprenda a aprender rápido. Conhecimento está disponível, de graça, desenvolver novas habilidades passa a ser essencial, como nunca antes. A depender do modelo mental, o novo ordinário, pode ser "ordinário" ou só ordinário mesmo.