Trocando uma figurinha com um colega de projeto e vendo as lives e mais lives acontecendo, ajudando uma penca de empresários de forma voluntária a se familiarizarem com todo esse "novo" aparato remoto e tentando olhar a diante, penso que viveremos algumas transformações.

Pensando à frente do caos instalado

Viveremos novos tempos da relação das pessoas com o ambiente de trabalho. Isso desdobra em uma reflexão para o setor imobiliário:  A home será home e office.  

As construtoras e investidores deverão tirar lição disso tudo...

Condomínios com Shared Offices no térreo, com uso disponível aos moradores e com aplicações inteligentes que tragam o contexto da inteligência artificial e da serendipidade para os ambientes residências condominiais.

Talvez vejamos mais projetos com office-places compartilhados no térreo, com WiFi corporativo integrado ao APP do prédio, rateado na conta de condomínio, com ambientes diferentes e lounges dispostos pelos andares do prédio em plantas mais criativas.

Empresas verão que a operação segue, em nova arquitetura, mais digital, sem perder o fio da gestão enquanto os encontros presenciais serão mais intensos, com mais troca e menos "carão".

A maturidade vem, o cara produz mais e mais feliz, no ambiente que mais se identifica que é a sua própria casa.

A quantidade de metros quadrados disputados nas avenidas mais "business hype" não precisam ser mais tão grande... O dinheiro que sobrar, investe-se em ambientes menores, com mais conteúdo, arte, nas políticas de remote Work e encontros presenciais mais criativos.

Tempos modernos, de uma economia complexa cada vez mais dependente da criatividade.