Estamos vivendo um período nunca antes visto em nossa história. Distanciamento social, fechamento de negócios como medida de contenção dentre outras ações que nos impõe a reflexão de como ter o digital como ferramental para o seu negócio. Para além de home-office ou remote work, como transitar a oferta de valor do seu negócio para o digital.

Pensar digital mais do que pensar no digital. O digital mais como um modelo mental do que como uma ferramenta. Pense que a transição do negócio para o digital não envolverá uma ferramenta apenas, mas um conjunto de práticas, adequações e plataformas.

Atividades produtivas ligadas à indústria, à alimentação, à agricultura, à logísitca, têm um maior desafio dessa adequação-transição pois estamos falando de atividades que ainda demandam a presença humana no processo. São negócios cujo fator humano está na cadeia produtiva, manipulando fisicamente, beneficiando produtos ou guiando um artefato, máquina, processo, etc..

Ainda...

Por que, ainda? Porque diversas iniciativas tecnológicas estão em curso pelo mundo, propondo a dinamização e substituição do fator humano nos processos. Existe uma grande discussão sobre futuro do emprego/trabalho a partir da invasão da tecnologia nos meios produtivos, essa é uma discussão interessante mas que talvez seja melhor deixá-la para um outro momento (indústria 4.0, automação industrial, veículos autônomos, etc...).  

Existem empresas que estão dedicadas na transformação de processos e abordagens de negócio em processos e abordagens mais digitais. Seja a abordagem completa do negócio, que passa a ser 100% digital, muitas vezes até com uma transformação de modelo, seja a abordagem do negócio de uma forma geral com um ou outro item de sua cadeia transitando para o digital, não falando em mudança de modelo de negócio.

Importante destacar que o digital não é um fim, mas sim um meio. Transformação e inovação nos processos para melhoria nas entregas de produtos e serviços do negócio, fortemente amparado pelo uso das tecnologias digitais tendo o digital como uma diretriz estratégica e executiva, não um fim em si mesmo.

Para ilustrar essa transição da jornada offline para a jornada digital, alguns exemplos que os segmentos estão vivenciando. Existem segmentos que estão mais amadurecidos em relação a jornada digital e outros menos.

Segmento Exemplo de Tranformação digital
Supermercados Zaitt Store - Loja 100% digital, sem presença de vendedores ou atendentes. Totalmente Self
Bares Tradicionais Tapp Bar - Você se serve. Basta carregar seu cartão NFC e aproximá-lo do bico do Chopp ou ler o QR Code com o app e se servir
Restaurantes físicos App serviços delivery que permite escolher o que comer, pagar e esperar a entrega
Bancos Fintechs - Tecnologia reinventando diversos serviços financeiros, inclusive com cartões e contas correntes com custo zero
Associações e Sindicatos Grupfy - Tecnologia que torna a associação 100% digital com votações, notícias, benefícios, rede, negócios tudo online
Hotéis Airbnb - Donos de apartamento ofertando seus ambientes para serem comercializados por curtos períodos oferecendo
experiências mais locais
Contabilidade Contabilidade 100% online, sem necessidade de encontros presenciais ou documentos físicos
Escolas e Instituições de Ensino EAD de Verdade - Com aulas ao vivo à distância, reprodução da jornada do aluno em diferentes plataformas de engajamento.
Locadoras Turu - Airbnb dos carros. Usuários ofertando seus carros para serem alugados por um curto período
Personal Trainer Aplicativos de Streamming de Treino que permitem ao usuário se engajar nos treinos por meio da tecnologia.
Consulta Médica Telemedicina - Com médicos emitindo laudos e pareceres remotamente a partir da leitura de dados de exames
Psicólogo Divã Online - Psicólogos atendendo virtualmente
Entregas Drones - Que decolam do centro logísitco e entregam mercadorias
Escritório Físico Ferramentas para Remote Office que permitem que os funcionários tenham a experiência digital do trabalho, em detrimento à experiência
offline de trabalho.
Relógio de Ponto Se o físico não é mais necessário, um app para Bater Ponto e controlar jornadas remotas
Portarias físicas Portaria Remota, centralizada, comandando diversos interfones, portões e câmeras IP's em diversas localidades
Sommelier Vivino - Levando o "crowd" para a palma da mão, com uma "indicação" coletiva sobre vinhos

Falando em exercício prático de como adequar sua oferta de valor para o ambiente digital, vou falar de algumas abordagens para alguns setores, começando pelos restaurantes, pois se trata de um setor muito importante e relevante na economia e que, em um cenário de fechamento de portas dado ao COVID, será muito impactado.

Restaurantes

Investir no Delivery como forma de seguir sua operação é uma saída para o cenário em que as pessoas precisam manter o afastamento. (As questões sanitárias você já deve saber, não sou especialista nisso...). Você pode usar os market places mais famosos como Shipp, iFood e Rappi ou investir em plataformas próprias.

Food Market Places

O marketplace é um modelo de negócio que surgiu no Brasil em 2012, também é conhecido como uma espécie de shopping center virtual. É considerado vantajoso para o consumidor, visto que reúne diversas marcas e lojas em um só lugar, facilita a procura pelo melhor produto e melhor preço. (via Ecommerce Brasil)

Os marketplaces são plataformas como um shopping, que reúne várias lojas em um mesmo local? Eles cuidam de tudo. Tecnologia, clientes, pagamento, exibição do cardápio.

Vantagens do Market Place.

  • Está pronto. É entrar em contato com a plataforma, ativar a sua loja e começar a vender.
  • Não há investimento no curto prazo: Você não imobiliza capital e seu custo é variável em função da sua performance de vendas. Menor risco.
  • Aquisição de clientes mais barata: Provavelmente seu cliente já terá o aplicativo instalado o que facilita realizar a aquisção de um produto do seu restaurante. Campanhas de aquisição de clientes indicando baixar um novo app demanda conhecimento técnico de links patrocinados, e-mail marketing e marketing digital. Fazer um link patrocinado do seu restaurante e indicar que ele compre o produto na sua loja nas principais plataformas de delivery, como a Shipp ou indicar que ele baixe o seu app? Lembre-se que fazer uma pessoa instalar um app tem um custo diferente de indicar que ela utilize um que ela provavelmente já tenha;
  • Tecnologia de Escala: Os marketplaces tem uma visão macro da coisa. Ele vê o mercado de forma ampla. Com muitos usuários, consegue entender perfis e comportamentos com maior maturidade e adequar a ferramenta para que as vendas sejam otimizadas numa relação ganha ganha. Se o app é otimizado todos ganham, cliente, com navegação facilitada, estabelecimento, com mais vendas e plataforma com mais resultado.

Plataformas Próprias de Delivery - 6 Plataformas para você ter o seu próprio app.

Se você é dono de restaurante e está lendo esse post eu digo logo de cara: Invista seu tempo em ser eficiente no seu processo produtivo e no relacionamento com seu cliente. Deixe a parte técnica para os marketplaces. Ter um app próprio (agora) vai exigir tempo de configuração, contratação, e etc... Na crise, opte por OPEX e não CAPEX. Uma plataforma própria implicará em custos de contratação e aquisição de clientes que terão que instalar o seu app enquanto os Marketplaces te permitirão vender sem muito investimento relevante em plataforma...

Neemo

Software e Plataforma de Delivery completo para Restaurantes, Pizzarias e Lanchonetes. Tenha sua plataforma de delivery para recebimento de pedidos

Link Aqui

Pediaki

O jeito mais fácil, rápido e seguro de você pedir sua comida online! Restaurantes, Pizzarias, Lanchonetes e muito mais.

Link Aqui

Onpedido

Site e App para Delivery com Sistema de Gestão.

Link Aqui

CCM Pedido Online

Aplicativo de Delivery online para restaurantes pizzarias e lanchonetes. O melhor programa de fidelidade para restaurantes do Brasil!

Link Aqui

Delivery Direto

Fazemos o app próprio de delivery do seu restaurante. Receba pedidos sem pagar comissões para marketplaces e de forma fácil sem atrapalhar sua operação.

Link Aqui

Cardápio Pronto

Venda seus produtos pela internet, com rapidez e segurança. Sem telefone.

Link Aqui

Conclusão

Vivemos um momento desafiador, nunca visto na nossa história. Baixar portas, restrição de vendas e circulação. Vivermos um pós crise complexo. O empreendedor precisa ter sangue frio, respirar, analisar e entender suas restrições para tomar decisões estruturadas sobre continuar ou não operando. Em sendo possível seguir operando, as tecnologias digitais são um aliado que podem ajudar nas operações, propondo um novo cenário de negócios.

Se você é do setor do food service e tem governança sobre os dados dos seus clientes atuais bem como expertise sobre como adquirir novos clientes, gerenciar pagamento de pedidos pelo mobile, logística e etc, talvez um app próprio seja uma saída, nunca se esquecendo da importância de fazer contas como por exemplo aquelas referentes ao custo de desenvolver e gerenciar um app próprio versus o custo de se operar em uma plataforma pronta.

Se você precisa subir rapidamente uma solução para vendas online e não se preocupar com nada além de produzir e vender, e ter seu estabelecimento já exposto a milhares de usuários, sem muito esforço de marketing, a saída é o marketplace, que te entrega isso pronto, sem necessidade de investimento/imobilizado.

Se ficar alguma dúvida e/ou precisar de um help, me chama no intagram.com/rcolnago.

Sabemos que isso vai passar.